jusbrasil.com.br
28 de Maio de 2022
    Adicione tópicos

    AGU prorroga validade de portaria sobre rotina de trabalho e prevenção ao coronavírus

    Advocacia Geral da União
    há 2 anos

    A Advocacia-Geral da União atualizou nesta sexta-feira (17/04) a Portaria nº 84/2020, que dispõe sobre as medidas de proteção e redução de riscos para o enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da Covid-19. A atualização foi feita pela Portaria nº 126, que ampliou o prazo de validade das medidas até 15 de maio de 2020 e altera o artigo 7º, que trata das situações relacionadas a viagens e outros eventos.

    A AGU adotou como medidas de prevenção e combate a Covid-19 o regime de trabalho em turnos alternados de revezamento e o teletrabalho excepcional e temporário a ser aplicado prioritariamente aos membros, servidores, empregados públicos e estagiários que se enquadrem no grupo de risco: pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, com imunodeficiências ou doenças preexistentes crônicas ou graves, relacionadas em ato do Ministério da Saúde, que apresentem sinais e sintomas gripais, gestantes ou lactantes e aqueles que morem com uma ou mais pessoas com suspeita ou confirmação de diagnóstico de infecção pela COVID-19.

    No caso de existir determinações de governos locais suspendendo atividades educacionais, a norma também permite que as chefias de cada unidade da AGU autorizem a execução de trabalho remoto caso os filhos de membros e servidores estejam em idade escolar e necessitem de assistência de um dos pais.

    A portaria também estabelece que o regime de teletrabalho excepcional e temporário deve resguardar a correta prestação do serviço público e que as medidas de proteção não podem prejudicar a representação judicial e extrajudicial da União e de suas autarquias e fundações públicas nem o trabalho de consultoria e assessoramento jurídicos do Poder Executivo "em nenhuma hipótese".

    Entre outras ações para evitar a aglomeração e proximidade de pessoas no ambiente de trabalho, além da flexibilização dos horários da jornada, estão as restrições a viagens a trabalho, agora feitas somente em casos de extrema necessidade, como, por exemplo, "o regresso do agente público ao município ou estado de residência."

    Brenda Lima

    Informações relacionadas

    Advocacia Geral da União
    Notíciashá 9 anos

    Comissão elabora código de ética da Advocacia-Geral

    Advocacia Geral da União
    Notíciashá 13 anos

    A Câmara de Conciliação e Arbitragem da Administração Federal: uma visão de futuro

    Advocacia Geral da União
    Notíciashá 9 anos

    Corregedoria instaura PADs contra servidores da AGU citados na investigação da Polícia Federal

    Carolina Fonseca, Advogado
    Artigosano passado

    Trabalho presencial de lactantes durante a pandemia: obrigatoriedade de afastamento?

    Advocacia Geral da União
    Notíciashá 8 anos

    AGU completa 21 anos de existência e quase 200 anos de história jurídica brasileira

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)